Conheça as doenças ocupacionais mais comuns

Publicado em 27/08/2014
Imagem do Artigo Conheça as doenças ocupacionais mais comuns

Asma Ocupacional

É a obstrução das vias aéreas, de caráter reversível, causada pela inalação de substâncias que causam alergia como, poeiras de algodão, linho, borracha, couro, madeira, etc. O quadro é o de uma asma brônquica, sendo que os pacientes queixam-se de falta de ar, aperto no peito, chieira no peito e tosse, acompanhados de espirros e lacrimejamento, relacionados com as exposições ocupacionais às poeiras e vapores. Os sintomas podem aparecer no local da exposição ou após algumas horas, desaparecendo, na maioria dos casos, nos finais de semana ou nos períodos de férias ou afastamentos.

PAIR

Perda Auditiva Induzida por Ruído: trata-se da diminuição auditiva, decorrente da exposição contínua a níveis elevados de ruído. A exposição ao ruído, além de perda auditiva, acarreta alterações importantes na qualidade de vida do trabalhador em geral, na medida em que provoca ansiedade, irritabilidade, aumento da pressão arterial e isolamento. No seu conjunto, esses fatores comprometem as relações do indivíduo na família, no trabalho e na sociedade.

Agrotóxicos

Conhecidos por diversos nomes ? praguicidas, pesticidas, defensivos agrícolas, venenos, etc. Esses produtos, dado à sua toxicidade, provocam grandes danos à saúde humana e ao meio ambiente. Por isso, seu uso deve ser desestimulado.

LER/DORT (Lesão por Esforço Repetitivo / Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho)

São processos decorrentes das relações e da organização do trabalho no mundo moderno, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com posturas prolongadas, trabalho muscular estático ( parado ), sobrecarga mental, ritmo intenso de trabalho, pressão por produção, relações conflituosas e estímulo à competitividade. Acomete homens e mulheres em plena fase produtiva (inclusive adolescentes). Esta doença pode evoluir para incapacidade parcial ou permanente, como a aposentadoria por invalidez.

Sintomas: Caracterizam-se por um quadro de dor crônica, sensação de formigamento, dormência, fadiga muscular (por alterações dos tendões, musculatura e nervos periféricos). É um processo de adoecimento, inclusive psicológico, pois surgem incertezas, medos, ansiedades e conflitos.

Uma saída é a Terapia Ocupacional

Segundo o médico Renato Igino dos Santos, esse tipo de terapia pode e deve estar atuando dentro das empresas com medidas preventivas das doenças ocupacionais. São orientações quanto ao mobiliário, iluminação, postura, dentre outras que farão a diferença na qualidade de vida dos funcionários que terão condições de produzir em maior quantidade e melhor produtividade, aumentando o lucro das empresas e diminuindo os gastos com indenizações desinteressantes para a empresa.

A Terapia Ocupacional através das suas atividades, tem a capacidade de prevenir, reabilitar e tratar as pessoas que poderão estar desenvolvendo algumas das doenças ocupacionais.

As atividades preventivas e ações ergonômicas, ocorrendo com isso um posicionamento mais adequado para o indivíduo e suas específicas dimensões, evitando dores e insatisfação com o trabalho.


Telefone: 11 3873-8808 /  3862-9609

Endereço: Av. Prof. Alfonso Bovero, 1057 - Perdizes - São Paulo/SP

Preventor - Todos os direitos reservados 2011

Desenvolvido por MW Way