Site Dicas de Mulher - Saiba mais sobre estomatite

Publicado em 15/06/2012

A inflamação causa aftas doloridas na boca, língua e gengivas e pode ser evitada com boa alimentação e higiene

www.dicasdemulher.com.br
Por Gisele Macedo Sá
15 de junho de 2012 11:00

De repente você sente sua boca sensível com pequenas aftas pela língua, gengiva e ou por dentro da bochecha. É muito provável que você esteja com uma inflamação conhecida como estomatite. O médico especialista em gastroenterologia, Bruno Sander, explica que “a estomatite é uma inflamação do revestimento mucoso de qualquer uma das estruturas da cavidade oral (boca) e orofaringe, que pode envolver a região das bochechas, gengivas, língua, lábios, garganta, ou assoalho da boca.”

Os sintomas mais comuns são justamente o surgimento de diversas feridas na região da boca. Sander explica que existem três tipos delas: as úlceras herpetiformes, que são pequenas e duram de uma a duas semanas; as úlceras aftóides menores, que duram de 7 a 10 dias e as úlceras aftóides maiores, que são mais severas e duram de seis semanas até vários meses. Quando a doença se apresenta em crianças, elas podem ter também febre e irritabilidade.

O médico Clínico Geral, Renato Igino dos Santos, explica que existem diversas causas para a inflamação e elas podem ter origem viral (vírus Herpes simples HSV-1 ou Coxsakie) ou aparecerem por conta de algum problema como má higiene bucal ou deficiência de algumas vitaminas e minerais na dieta do paciente. O uso de cigarros e a ingestão bebidas alcoólicas também podem contribuir para o aparecimento da estomatite.

A estomatite também pode aparecer como um alerta quando, por exemplo, o indivíduo apresenta uma situação de baixa imunidade, neste caso, crianças e idosos devem ser observados. Próteses mal colocadas ou queimaduras causadas por alimentos ou bebidas também podem desencadear o processo inflamatório. Sander alerta para a busca de um diagnóstico preciso. “Por conta de a doença apresentar diversas causas, cada caso apresenta um quadro específico e o tratamento deve levar isso em consideração”, explica.

Santos explica que o tratamento da estomatite envolve o uso de substâncias como analgésicos, anti-inflamatórios, antissépticos bucais e antitérmicos, mas é muito importante observar a alimentação do paciente, já que o ato de comer fica certamente comprometido. “A hidratação deve ser um ponto observado por conta da dificuldade para a deglutição. Os alimentos podem ser pastosos para amenizar o trauma de engolir alimentos crocantes ou duros. É bom evitar alimentos ácidos como laranja, abacaxi, tomate, morango, kiwi e limão ou alimentos muito temperados”, explica.

A doença geralmente é reincidente, ou seja, o mesmo paciente pode voltar a apresentar a inflamação. Em boa parte dos casos ela não é transmissível, porém quando sua origem é por conta dos vírus Herpes ou Coxsakie é preciso tomar cuidado com a transmissão da doença.

Para prevenir a estomatite é bom tomar nota das boas práticas de higiene, como lavar as mãos constantemente e prover uma boa higiene bocal. Evitar o cigarro e a ingestão do álcool e evitar traumas bucais, como mordidas, queimaduras e próteses mal adaptadas também podem servir como um bom escudo.


Telefone: 11 3873-8808 /  3862-9609

Endereço: Av. Prof. Alfonso Bovero, 1057 - Perdizes - São Paulo/SP

Preventor - Todos os direitos reservados 2011

Desenvolvido por MW Way